Menu

Tinhamos o carro estacionado nos arredores do prédio. Para não variar nem um pouco, estava um vento de levar guardas-chuvas pelo ar, acompanhado de uma chuva, daquelas que nos atingem de lado, bem a jeito. Cheguei à porta do prédio e só me apeteceu voltar para trás! O T. insistia que ia sozinho, eu insistia que ele ia tinha de vir comigo para não apanhar chuva. Lá fomos juntos no mesmo guarda-chuva, com o T. a resmungar que eu não sabia manejar um guarda-chuva. Mas por mais jeito que eu tivesse, não havia maneira de evitar a chuva, com o vento que estava. Estamos a 3 passos de chegar ao carro, quando me cai todo o conteúdo do meu saco (de papel). Sim, papel! O saco, com a chuva, ficou molhado e rasgou-se. Um dos trolhas (mesmo!), que estavam abrigados da chuva mesmo à frente do carro, saí-se com um Olé, olé!. Envergonhada com a situação, despachei-me a apanhar as coisas que estavam perto e o T. apanhou o resto, que se espalhou. O T. já furioso chamou-lhe, ao trolha, um nome lindo!! Entramos no carro, encharcados. Eu estava com o cabelo lindo e sedoso (not) e desejando de sair dali. O T. estava com as roupas molhadas e irritado com o comentário do trolha. Não tivemos outra solução senão ir assim para o trabalho, começando da melhor forma o nosso dia! Estou para ver qual será a surpresa que nos espera amanhã…

Comments (0)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *


five + 2 =