Menu

featured

Look do dia #1

Decidi começar uma nova rubrica no blogue, a do look do dia. Na verdade, este look não é o de hoje, mas sim o de Sábado. Foi um dia de Sol, com chuva à mistura, mas consegui sobreviver até ao fim do dia, com saia e sandálias. Percebe-se bem nesta foto que sou mulher de azuis, dado que a maioria das peças são nesse tom. A minha mais recente aquisição foi a saia às riscas da Neblak que, para mim, é a estrela do outfit. As restantes peças já são de anos anteriores. A camisa de ganga continua a ser uma das tendências desta e da próxima estação e igualmente uma das minhas peças preferidas. Faltou apenas incluir a mala e os respectivos acessórios no respectivo look. Desculpem-me, não vou cometer a mesma falha nos próximos looks do dia.

Deixem comentários com a vossa opinião sobre a rubrica nova, se gostam, se assim assim ou se não gostam mesmo nada e se querem que continue a colocar os meus looks do dia. Beijos.

Continue reading

Recomeçar…

Olá, olá! Após um ano e alguns meses, voltei a escrever no blogue. Sinto que me faltou forças, em certos momentos da minha vida, para continuar com esta minha paixão: a de escrever. Por vezes, somos levados a não acreditar que conseguimos, que não temos forças para lidar com situações de stress do dia-a-dia e parece que tudo se desmorona à nossa frente. Talvez até esteja a ser um tanto ou quanto dramática no meu discurso, mas a verdade é que às vezes há aquele je ne sais pas quoi que parece que nos arrebata e…sentimo-nos vazios, fracos, sem motivação para o quer que seja. Mas, senhores e senhoras, há outros dias em que tudo parece que corre sobre rodas, que não podemos ser mais felizes e que, apesar de todas as vicissitudes, só podemos dar graças a Deus por tudo o que temos e conseguimos na vida. E este recomeçar deve-se à insistência do meu querido T. em não querer que eu abandonasse esta paixão. Obrigada meu amor.

Continue reading

Biker Mood

As Lita Jeffrey Campbell são realmente uma das minhas paixões secretas, que nunca se concretizou. Ora por achar que era um desejo do momento e que depois podia me vir a arrepender, ora porque são realmente muitas caras. Mas porque não gosto de imitações, sempre ficou a esperança de algum dia vir a ter umas. E agora vejo que saiu um novo modelo, as Lita Buckle, que são simplesmente lindas e fofinhas. Ora vejam a combinação que fiz, com uma dessas.

Continue reading

O amor tem destas coisas…

Já me aconteceu por inúmeras vezes responder ao meu namorado, numa situação em que me deparo com duas alternativas: – Pode ser!. E ele pergunta: – Mas pode ser o quê?. Para mim é lógico, eu respondo “pode ser”, após uma das alternativas. Se eu gostei da primeira, ele já está a continuar a dizer a segunda alternativa e eu estou a responder-lhe, quase, quase a interrompê-lo. Quando eu estou interessada na segunda alternativa, só digo depois de ele acabar a frase. É obvio, não é? Mas para ele não é e fica irritado comigo porque eu insisto com o “pode ser”. E isso está a acontecer com muita frequência, ultimamente. De facto, não tenho nenhuma razão aparententemente lógica para fazê-lo, mas continuo. Acho que agora já faço só para irritá-lo (a brincar) mais um pouco. Mas percebi que afinal não é muito perceptível, “o pode ser”. Digam-me lá, isso é só de mim ou também vos acontece situações deste género?

Outra tendência que adquiri foi o de dizer “mas” a meio de nada, só para chamar a atenção e falar de um assunto completamente diferente que eu ainda não sei qual vai ser. Só para continuarmos a falar, para quebrar o silêncio. Também não é normal, pois não?